Jesus
William Marrion Branham
A NECESSIDADE DE UM PROFETA
Fonte Minist´┐Żrio Luz nas Trevas - 06/09/2013 - 11h16min Imprimir
A NECESSIDADE DE UM PROFETA

Cada vez que Deus tem revelado sua Palavra, o tem feito através de um profeta. Enoque foi um profeta do tempo da antidiluviano. Deus lhe revelou Sua Palavra. E ele falou de eventos que ainda estão por suceder. Três gerações depois, Deus levantou a Noé e lhe revelou a situação espiritual e o juízo eminente do dilúvio. Porém eles não creram.

Essa é a maneira que Deus tem estabelecido, segundo as Escrituras, para falar ao povo:

E todo o povo viu os trovões e os relâmpagos, e o sonido da buzina, e o monte fumegando; e o povo. Vendo isso, retirou-se e pôs-se de longe. E disseram a Moisés: Fala tu conosco e ouviremos e não fale Deus conosco, para que não morramos”. (Exôdo 20:18-19).

Chega-te tu, e ouve o que disser o Senhor nosso Deus, e tu nos dirás tudo o que disser o Senhor nosso Deus, e ouviremos, e o faremos. (Deuteronômio 5:27).

Então o Senhor me disse: Bem falaram naquilo que disseram. Eis que lhes suscitarei um profeta no meio de seus irmãos, como tu; e porei as minhas palavras na sua boca, e ele lhes falará tudo o que eu lhe ordenar. E será que qualquer que não ouvir as minhas palavras, que eu falar em meu nome, eu o requererei dele. (Deuteronômio 18:16-19).

Por estas Escrituras, vemos que o povo não pode suportar a voz direta de Deus; portanto, pediram a Moisés que entrasse na presença de Deus e ouvisse as palavras que Deus tinha para eles, e logo lhes disse-se tudo o que Deus lhe houvesse dito. Essa atitude do povo foi aprovada por Deus e desde então você não tem a Deus falando diretamente ao povo senão através de um profeta.

Deus estabeleceu ali que sua revelação viria sempre através de um profeta; e assim tem sucedido sempre. Cada profeta de Deus tem trazido a revelação da Palavra para o tempo em que tem sido levantado. Cada um deles trouxe a porção que correspondia para seu tempo, até que apareceu João Batista, o último dos profetas do Antigo Testamento, que introduziu a Cristo, a plenitude da Palavra. Os profetas anteriores tiveram porções da Palavra, porém Cristo foi a plenitude da Palavra, Cristo foi o Profeta por excelência com toda a revelação da Palavra de Deus.
 
A dispensação Judia terminou com o maior dos profetas hebreus, João Batista, de que Jesus disse:
 
“E eu vos digo que, entre os nascidos de mulheres não há maior profeta do que João Batista; mas o menor do reino de Deus é maior do que ele”. (Lucas 7:28). O Senhor o identificou como profeta de que falou Malaquias: “Este é aquele de quem está escrito: Eis que envio o meu anjo diante de tua face, o qual preparará diante de ti o teu caminho”. (Lucas 7:27). Pois, João foi quem introduziu o Messias para Israel: sem duvida, os lideres religiosos não creram, antes fizeram-lhe tudo o que quiseram. Estava anunciando nas Escrituras que viria diante do Senhor para preparar o caminho; sem dúvida o mundo religioso de seu dia, tendo as Escrituras, não o receberam. Ainda que os profetas não dissessem que se chamaria JOÃO, sem dúvida, a vindicação de Deus em sua vida e ministério provava que este era o mensageiro que tinha de vir diante do Messias. Porém aqueles líderes religiosos, junto com o povo, estavam cegos para a Palavra e para a obra que Deus estava fazendo ao seu redor.
 
Eles estavam esperando um profeta e ao Messias; porém quando apareceram, os rejeitaram. Porque os rejeitaram? Porque aqueles religiosos tinham se apartado da Palavra e estavam apoiados em suas próprias interpretações. Os ensinamentos deste profeta não tinham afinidade com as crenças daqueles grupos religiosos; porque um profeta de Deus não vem para confraternizar com as organizações religiosas, senão para trazer a Palavra de Deus.            
 
Deus não envia um profeta quando tudo anda bem, senão quando dentro do povo há coisas torcidas que devem ser endireitadas. Então o profeta vem com a Palavra cortante e forte para fustigar tudo o que seja contrário a Palavra de Deus; porém os religiosos não aceitam tal admoestação porque golpeia fortemente seus costumes e crenças nas quais estão estabelecidos; por conseguinte, se levantam contra a mensagem e do mensageiro, e lhe resistem como Janes e Jambres resistiram a Moisés. Assim sucedeu no Antigo e Novo Testamento, e hoje sucederá o mesmo.
 
Hoje, mais que nunca, se necessita de um verdadeiro profeta de Deus para tirar o povo do Senhor da confusão denominacional que reina no mundo chamado cristão, donde as tradições e interpretações privadas tem tomado o lugar da Palavra, e donde os sistemas denominacionais tem usurpado o lugar do Espírito Santo na direção das coisas espirituais.
 
Neste tempo quando as igrejas estão sumidas em tanta contaminação mundana, pobres, cegas, miseráveis e nuas, porém crendo que estão ricas espiritualmente, e que não tem necessidade de nada; então é quando se necessita um profeta com autoridade de Deus para declarar a verdadeira condição espiritual da igreja, e para abrir os olhos dos predestinados da hora, a fim de que pudessem ver a Palavra pura do Senhor.
 
Se você é uma semente de Deus, sem duvida que já se tem dado conta da condição espiritual do mundo que hoje se chama cristão, assim como também de necessidade de um profeta para tirar aos verdadeiros filhos de Deus da confusão denominacional que impera neste tempo.
 
Qualquer pessoa que lê as Escritura com revelação divina pode perceber a hora em que estamos vivendo, porque todos os eventos anunciados para este tempo, já estão presentes: Israel está em sua terra demonstrando ser uma nação forte; a multiplicação da maldade a vemos em todas as fases da vida humana; o mesmo se pode dizer quando a ciência, a qual tem-se multiplicado em todos os aspectos; a frieza nas igrejas estão mundalizadas e convertidas em clubes de religiosos; os chamados cristãos se tem conformado com os costumes e sistemas do mundo em todos os aspectos de suas organizações religiosas; e muitas religiões estão hoje convertidas em negócios lucrativos. Esta é a apostasia do fim.
 
A condição do mundo e das igrejas é um prognóstico da aproximação do juízo de Deus, a Grande Tribulação. Porém o sinal mais importante do tempo do fim é a presença do profeta que Deus tinha prometido enviar antes do juízo; o qual restauraria todas as coisas, todas as verdades de Deus que os homens têm pervertido no decorrer dos séculos.
 
“Eis que eu vos envio o profeta Elias, antes que venha o dia grande e terrível do Senhor”. (Malaquias 4:5).
 
E respondendo Jesus, lhes disse: Em verdade, Elias virá primeiro e restaurará todas as coisas. (Mateus 17:11).
 
Esta restauração tão ignorada pelo mundo religioso enriquecido por suas conquistas materiais é o sinal mais evidente do tempo em que estamos vivendo e da breve vinda do Senhor, pois as Escrituras dizem: “O qual convém que o céu o contenha até aos tempos da restauração de tudo, dos quais Deus falou pela boca de todos os seus santos profetas, desde o princípio”. (Atos 3:21).
 
Esse profeta Elias anunciado para este tempo, tem estado na terra com sua mensagem restauradora, porém a grande maioria ignora este fato; portanto, se tem repetido o caso que sucedeu com João Batista, o precursor da primeira vinda do Senhor: “Mas digo-vos que Elias já veio, e não o conheceram, mas fizeram-lhe tudo o que quiseram. Assim farão eles também padecer o Filho do Homem”.
 
O mesmo Senhor falando de João com Elias daquele tempo, falou do Elias que tinha que vir antes de sua Segunda Vinda para restaurar todas as coisas:
 
“E os seus discípulos o interrogaram, dizendo: Porque dizem então os escribas que é mister que Elias venha primeiro?
 
E Jesus, respondendo , disse-lhes: Em verdade Elias virá primeiro, e restaurará todas as coisas;
 
Mas digo-vos que Elias já veio, e não o conheceram, mas fizeram-lhe tudo o que quiseram. (Mateus 17:10-12).
 
Vemos nesta porção das Escrituras, que o Senhor Jesus Cristo fala em dois tempos gramáticos em relação com Elias: UM QUE JÀ VEIO –PASSADO- que foi João Batista; e o outro que tinha que vir-FUTURO- para restaurar todas as coisas. Temos que entender que o Senhor não está procurando alterar a Gramática, nem tampouco brincando com as palavras, senão falando de um Elias que estava no futuro-virá primeiro, e restaurará todas as coisas- e de outro que estava no passado – “Elias já veio, e não o conheceram”- Aqui temos os dois homens com os dois ministérios profetizados em Malaquias capitulo quatro: “Converterá o coração dos Pais aos Filhos, e o coração dos Filhos aos Pais”. Então não há dúvida que Elias tinha que vir antes da Grande tribulação, porque tinha uma obra para levar a cabo: “Converterá o coração dos filhos aos pais”, pois a outra parte deste ministério já estava realizado por João; “ Converter o coração dos pais aos filhos”. (Malaquias 4:6).
 
João preparou aos pais para que Jesus pudesse dar as boas vindas dos filhos ao entrar no redil. De modo que aqueles homens, os pais da igreja primitiva, fosse preparados por João para que recebessem a Cristo, a Palavra; Porém o Elias desta era tinha de converter aos filhos dos últimos dias a fé dos Pais do dia de Pentecostes. Este profeta prepararia aos filhos para dar as boas vindas a Jesus; é dizer, sua mensagem levaria aos verdadeiros filhos de Deus a fé primitiva dos apóstolos e profetas; lhes preparando assim para a segunda vinda do Senhor.
 
O Senhor sabia que as igrejas estariam nesta condição de frieza espiritual quando chegasse o tempo do fim; ele sabia que o cristianismo chegaria a este estado de conformismo mundano que hoje estamos vendo; portanto, anunciou que viria um tempo no qual restauraria todas as coisas, antes do rapto. Atos 3:21). Também prometeu que levaria esta restauração a cabo por meio do profeta Elias (Mateus 17:11).
 
Todos sabemos que Elias foi um profeta que ministrou em Israel durante um tempo de grande apostasia.
 
Quando Deus tomou a Elias, “o espírito de Elias repousou sobre Elizeu” (II Reis 2:15); logo antes da primeira vinda do Senhor, João veio com o espírito e virtude de Elias... A fim de preparar ao Senhor um povo bem disposto. (Lucas 1:17), porém está prometido que Elias viria antes do dia grande e terrível do Senhor (Malaquias 4:5). A Grande Tribulação; e finalmente aparecerá junto com Moisés durante o tempo da Grande Tribulação. (Apoc. 11:3).
 
Agora, sabendo que estamos no tempo do fim e que a Grande Tribulação está as portas, temos que entender que o profeta Elias já tem estado presente para cumprir esta restauração prometida pelo Senhor. Porém não é uma reencarnação do Elias do Passado; Como tampouco o foi no caso de João; Senão o ministério deste homem manifestado num mundo religioso com condições semelhantes as que imperaram durante seu dia. É o ministério de Elias num homem sem temor e desprendido de todo interesse material, com uma mensagem cortante, como o machado a raiz das árvores, denunciando toda coisa contrária a palavra de Deus, e convidando ao povo a voltar para a Palavra e a uma entrega completa ao Senhor.
 
Todos os que têm conhecido a vida e o ministério do irmão William Marrion Branham, sabem que Deus o vindicou como o profeta mensageiro desta era; e mesmo sua mensagem assinala como tal porque está em completa harmonia com as Escrituras.
 
Deus tem cumprido sua palavra para esta era, e o verdadeiro povo de Deus está se preparando para o rapto; Porém não obstante, muitos chamados cristãos nem sabem o que tem acontecido.
 
Amado irmão, abre teus olhos antes que seja demasiado tarde, busca a presença do Senhor e esquadrinha as Escrituras, porque nela está o plano de Deus para esta hora.
 
Certamente o Senhor Jeová não fará coisa alguma, sem ter revelado o seu segredo aos seus servos, os profetas. (Amós 3:7).
COMPARTILHAR
Comentários
Nome:
E-mail:
Comentário:
 
1
onde estamos Frederico Maurer 1429 - Hauer
Curitiba - PR
contato (041) 3278-3790
tabernaculo_ctba@hotmail.com
tabernaculo@luznastrevas.com
redes